Agora são outros 500

Agora são outros 500

Respondendo perguntas atuais

Nesta série teremos como pano de fundo os SOLAS da Reforma. Nossa ideia é pensar como essas doutrinas podem ser aplicadas efetivamente em nossa prática cotidiana. Para tanto, pensamos em convidar as pessoas a refletirem sobre questões que a sociedade do nosso tempo tem, e em como elas podem ser respondidas pelos SOLAS da Reforma.

O que faz a sua cabeça

Rev Marcelo Rodrigues (01/10/2017)

O primeiro sola que vamos tratar é o SOLA SCRIPTURA, traduzida como Somente a Escritura. Nos dias atuais as pessoas veem as Escrituras como fonte de “auto ajuda”, ou como um “livro sem valor”. Exatamente por isso, as pessoas estão sendo orientadas pelas mais diversas ideologias e tendências, ao invés de buscarem nas Escrituras direção para as suas vidas. As Escrituras são o fator orientador da vida dos discípulos de Cristo, porque nelas estabelecemos relacionamento com o próprio Deus, o conhecemos e descobrimos sua vontade. Diante da revelação de Deus, a gente pode viver com esse Deus, ou afastar-se dele. A Bíblia não é um amuleto, ela é a Palavra de Deus que conduz nossa caminhada, a única autoridade para falar sobre Deus e direcionar nossa vida. 

Quem você segue?

Sem. Orivaldo Oliveira (08/10/2017)

Hoje é comum a palavra seguidores. Quantos de nós seguimos alguém ou é seguido por alguém no Facebook, Instagram, Twitter ou em qualquer outra rede social? Temos ícones na música, no cinema e futebol. Quantas pessoas têm moldado a nossa vida, nos auxiliado a solucionar problemas, sido exemplos a serem seguidos? 

Nos 500 anos da Reforma paramos para refletir em seu segundo pilar; “Sola Christus”.  Qual o lugar de Cristo em nossa vida? Será que seguimos a Cristo? Podemos seguir a Cristo e outros mestres?

É de graça mesmo?

Rev Marcelo Rodrigues (15/10/2017)

O terceiro sola que trataremos é o SOLA GRATIA, traduzida como Somente a Graça. Em nosso tempo acreditamos que nada é de graça, afinal “quem quer rir, tem que fazer rir”. Nossa sociedade é marcada pelas relações que estão sempre baseadas na troca, no interesse, no fazer para receber... pois a narrativa é a de que nada é de graça. O que não percebemos  eu a salvação é de graça para nós, porém, para Deus, teve um custo altíssimo. Jesus se entregou por nós e morreu em nosso lugar, pagando o preço que jamais poderíamos pagar. A isso chamamos Evangelho.

A fé não costuma falhar?

Rev Marcelo Rodrigues (22/10/2017)

Vamos falar sobre o Sola Fide. A salvação é conquistada pelas obras ou por uma parceria entre a fé e obras? Ou a salvação é somente pela fé na obre de Jesus, independentemente das obras? Essa era uma questão séria na época da Reforma e parece que ainda o é hoje. Se salvação fosse alcançada por obras, o homem deveria ser perfeito. A lei exige obediência completa (Lc 10.28). O padrão para entrar no céu é perfeição (Mt 5.48). Mas a Bíblia diz que não há um justo sequer (Rm 3.10). Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus (Rm 3.23). Por isso reafirmamos que a justificação é somente pela graça, alcançada somente por intermédio da fé na obra de Cristo. Na justificação a retidão de Cristo nos é conferida como o único meio possível de satisfazer a perfeita justiça de Deus. Você tem dúvidas? Vem com a gente e vamos conhecer o que a Bíblia fala sobre isso!

O cliente tem sempre a razão?

Rev Marcelo Rodrigues (29/10/2017)

Toda a glória deve ser dada somente a Deus! Se sua vida estiver centrada em qualquer coisa ou lugar que não seja Deus, isso é idolatria. A ideia é de que temos vivido constantemente na busca por autossatisfação, tanto fora como dentro da igreja (consumismo eclesiástico). Precisamos entender que é tudo sobre a glória de Deus, e não sobre eu estar satisfeito. A maior prova de nosso erro é como avaliamos nossa experiência na igreja e com nossos irmãos de fé. Se eu não vivo para mim, qual o sentido de adotar uma postura de ‘clientela’, pensando sempre na minha satisfação?

Designed by ijeab / Freepik