Independência e morte

Independência e morte

A ilusão do caminho longe do pai

Uma das marcar mais evidentes de nossa sociedade é a busca pela felicidade e a autorrealização. A Bíblia ensina que essa sede insaciável nada mais é que um eco profundo da saudade que temos de Deus. Mas nossa conexão com Deus foi rompida de um jeito tão radical que essa busca se tornou obsessiva e destrutiva. Ao caminhar pela parábola do filho pródigo contada por Jesus seremos desafiados a perceber que, longe do Pai, apenas encontramos a morte. A ilusão de independência que nos “mata” aos poucos e de várias maneiras. Mas somos lembrados que o Pai está esperando nossa volta. Vamos aprender juntos o caminho de volta.

Morte pelo Individualismo

Rev Marcelo Rodrigues (03/09/2017)

O Filho mais novo rompe radicalmente com o pai, a família e a sociedade, e parte para uma terra distante, pensando apenas nele. Porque ele decide sair de casa quando tem tudo? Porque prefere se aventurar em terras distantes quando tem um lar e um pai tão amoroso? Ele parece cego em si mesmo. Suas ações e escolhas são norteadas pela concepção de que apenas ele, suas necessidades questões são importante. O rapaz busca apenas sua própria felicidade. Mas nesse caminho a única coisa que pode encontrar é a morte pelo individualismo!

Morte pelo Consumismo

Rev Marcelo Rodrigues (10/09/2017)

O Filho mais novo rompe radicalmente com o pai, e parte para uma terra distante. E gasta toda sua herança satisfazendo todos os desejos. Talvez esse seja o sonho de muitos, ter muito dinheiro para gastar como bem quiser. E somos enganados e levados a pensar que seu único erro foi não administrar bem sua posses. Mas o erro é mais fundamental. E não vemos porque ele está em nós. Sonhamos com a felicidade como sendo uma terra distante onde posso ter tudo. Mas a alegria só é encontrada na casa do Pai. Apenas lá encontro o amor que busco. Sou o Filho pródigo toda vez que busco amor incondicional onde não pode ser encontrado!Então descubro que sou mais parecido com o Filho pródigo do que quero admitir.

Morte pelo Utilitarismo

Rev Marcelo Rodrigues (17/09/2017)

Como já vimos, o filho mais novo rompe radicalmente com o pai, e parte para uma terra distante onde dissipa todos os bens. E é justamente o fim de seus recursos que o leva a tomar o caminho de volta de casa. Ele não apresenta sinais profundos de arrependimento. Ao que parece, seu interesse em voltar para o pai é a construção de um plano alternativo diante da falha do plano original. Ele volta, mas para continuar seu projeto individual. Ele não quer se relacionar com o pai ou seu irmão, mas resolver seus problemas. Resta a nós responder as perguntas que ficam no ar: Houve arrependimento ou seu retorno era apenas uma forma de parar de sofrer as consequências das más escolhas? Reconhecemos a casa do pai como tendo algo que só encontramos lá? Reconhecemos que mesmo perdendo a dignidade diante de seus erros o filho jamais perde sua essência, sua filiação? O que será Deus pensa a respeito disso? Vamos caminhar e tentar perceber.

Morte pela autojustificação

Rev Marcelo Rodrigues (24/09/2017)

Encerramos a parábola do filho pródigo percebendo que a vida desses dois filhos são muito mais parecidas do que queremos admitir. A primeira vista parece que temos um filho bom que fica em casa e outro mal sai. Mas hoje veremos que na verdade ambos representam duas formas de se afastar de Deus: descumprindo os mandamentos de Deus ou obedecendo todos em busca de uma justiça própria. O Evangelho modifica-nos profundamente. Precisamos abandonar nossos conceitos que nos mantém em uma lugar seguro e confortável mas longe de Deus e nos submeter ao amoroso relacionamento de um Deus que nos convida a participar de sua festa, a festa do perdão e da graça.

Designed by ijeab / Freepik