O que realmente importa?

O que realmente importa?

Os resultados de um encontro com Cristo

Essa série de mensagens tem como pano de fundo o mês de missões, onde queremos trabalhar a perspectiva missional. Toda a série está fundamentada sob a ideia de que quando encontramos com Deus, isso traz consequências. Atitudes práticas que mostram o que realmente importa na vida do ser humano, e trazem sentido a vida. Vamos seguir as história de Atos dos Apóstolos percebendo como a vida do apóstolo Paulo é um grande testemunho dessa verdade. Mas também seguiremos a vida de Simonton, um dos primeiros missionários a chegar no Brasil. E perceberemos que essa não é uma verdade perdida no passado. Mas que nos desafia a ser vivida hoje ainda, por cada um de nós!

Submissão

Rev Marcelo Rodrigues (06/08/2017)

Entendemos que quando encontramos Deus, isso traz consequências. Atitudes práticas que mostram o que realmente importa na vida, trazem sentido a vida.  Por isso somos chamados a SUBMISSÃO que é a clareza de que fomos incumbidos da tarefa de levar o Evangelho a todos. Submissão é estar debaixo dessa missão. Ela de fato começa quando nós temos um encontro com Cristo.

Intencionalidade

Rev Marcelo Rodrigues (13/08/2017)

Somos chamados a viver pra glória de Deus e, intencionalmente, em direção ao outro. Simonton foi intencional em relação a isso ao vir para o Brasil e alcançar uma nação onde não havia uma só igreja evangélica. Paulo também não consegue apenas passar por Atenas. Sua relação com Deus o impede de viver uma vida indiferente, ignorando as pessoas que caminham cada vez mais para longe de Deus. Afinal, percebo que, se vivo uma vida transformada por causa da relação com Deus, levo outros a perceberem e a desejarem viver essa relação com Deus. Agora me importo, não só porque Deus manda, mas porque passa a ser a minha missão. Passa a me incomodar! E cada dia é uma nova oportunidade para viver intencionalmente o Reino.

Coragem

Rev Marcelo Rodrigues (20/08/2017)

Coragem é perceber que a submissão intencional à missão tem consequências, mas as enfrentamos e pagamos o preço. No texto percebemos que haverá custos, riscos, mas há algo maior do que nós mesmos – seguimos em frente apesar de tudo. O paralelo com Simonton é a perspectiva de que ele perdeu tudo no desenvolvimento da missão. Lembramos da experiência na Rua dos Inválidos. Quando aconselhado a não ir morar em uma área onde o risco da febre amarela era maior ele afirma: “Negociantes estrangeiros vivem nesta parte da cidade por causa dos negócios; missionários estrangeiros devem ter também ao menos igual dose de renúncia”. 

Dedicação

Rev Marcelo Rodrigues (27/08/2017)

A dedicação se concentra na perseverança. Levar até o fim da vida o chamado de Deus. A história de Paulo é um chamado a essa vida. Mesmo preso, ainda vive a missão. Nada impediu que ele a vivesse, e continuou dedicado até o final. Mesmo na prisão, continua a pregar (cartas da prisão). Paulo se dedica ao ponto de não permitir que aquilo que poderia ser um impedimento, o impedisse de viver sua missão. Paulo tinha justificativas para parar, tanto pelo que já tinha feito, como pela condição atual, mas continuou dedicado até o final. Simonton também teve vários obstáculos que poderiam levar a parar: o dinheiro das ofertas sobretaxado, a morte da esposa, analfabetismo (97% da população), a dificuldade linguística, perseguição da igreja católica. Mas se entregou até o fim a viver sua missão. E você? Está pronto para viver essa missão e transformar suas prisões e impedimentos em vantagens para a pregação do Reino? Vem com a gente!

Designed by ijeab / Freepik